Notícias

Carpa-cabeçuda foi destaque das duas etapas paranaenses do CBP: veja como foi

Campeões estaduais são do Paraná e, pela primeira vez na história, uma dupla feminina se classifica para a grande final

O 2022 do terceiro CBP começou com muita emoção! (Como já é de costume no Campeonato Brasileiro em Pesqueiros da Fish TV).

ATENÇÃO: AS FOTOS DAS ETAPAS PARANAENSES ESTÃO NO FINAL DESTA MATÉRIA!

Em duas provas acirradas, o grande destaque foi o estilo de pesca paranaense, focado nas carpas. Mais voltados aos molinetes, a grande maioria dos pescadores optou por essa modalidade.

Foram duas etapas que tiveram as suas dificuldades. Em função da mudança climática no meio da semana que antecedeu a prova, não foi a vez dos peixes redondos.

Porém, como a maioria estava de olho nas carpas, elas apareceram e dominaram! As Pirararas também foram para as balanças.

É importante ressaltar que essas Pirararas foram soltas na arena recentemente. Alguns até tinham dúvidas em relação ao comportamento destes peixes, por ser um peixe amazônico em um estado como o Paraná, mas o resultado foi muito positivo.

Aliás, já existe um planejamento para essas Piraras durante o inverno rigoroso: serão transferidas para uma estufa por proteção ao frio.

Em relação à prova, precisamos dar destaque para a dupla campeã estadual: eles também são do Paraná e mostraram a força que a pesca esportiva tem no estado.

Outro grande destaque foi a classificação de Kamila e Marcelia para a grande final. Um detalhe; é a primeira dupla, formada apenas por competidoras mulheres, a chegar na finalíssima de um CBP!

Sem contar que a classificação foi nos últimos minutos de prova! Emoção a mil! Confira os destaques:

ETAPA 1 (SÁBADO, 15 DE JANEIRO): Pescadores descobrem a arena mais desafiadora do CBP!

Talvez um dos maiores motivos que grandes pescadores participem do CBP, seja o prazer por se desafiar dentro da pesca esportiva.

Seja por conhecer uma arena nova, um estilo de pesca novo ou por disputar com outros fortes pescadores, já conhecidos neste esporte.

E para os competidores das duas etapas paranaenses que gostam de um bom desafio, o final de semana de pesca foi incrível!

Desde o início, a grande maioria já optou por garantir peixes com o estilo paranaense de pescar, pensando nas carpas do lago. Isso exigiu paciência e ainda mais estratégia.

No primeiro tempo do sábado, a água em 24 graus não estava ajudando para a produtividade já conhecida do Valle Verde. Com as chuvas recentes e a queda de temperatura, este foi mais um fator a ser combatido pelos pescadores.

O primeiro quarto da prova terminou com Cleriston e Adailto liderando. Mas a dupla, que foi muito bem pela manhã, não conseguiu manter a sequência e terminou na sexta posição.

No segundo tempo, os pescadores continuavam nas carpas e a quantidade de competidores focados nos redondos era bem pequena.

Com o início da chuva no segundo tempo, a evolução do logo não mudou. Neste período, foi percebida uma menor somatória geral e menos exemplares capturados, porém, mais fisgadas.

Mas quem conseguiu um destaque maior foi Eriton Lopes e Luiz Henrique, que saíram da vice colocação e partiram para a liderança.

Os dois também não conseguiram manter o bom ritmo durante o restante da prova e foram parar na oitava classificação.

Foi no terceiro tempo em que a classificação começou a embolar! Com as trocas de raias, o top 10 mudou completamente.

Às 14:50h, Tiago e Pablo capturaram uma bela carpa-cabeçuda na boia com massa. O belo exemplar, de 8,380kg, foi o maior do dia. Com isso, a dupla já garantiu a vaga para a finalíssima com o maior peixe!

Rafael e Rodrigo, que pegaram cinco carpas-cabeçudas ao total (28,520kg), assumiram a liderança. Apostando na boia com pastilha e massa, a dupla até conseguiu manter a boa pescaria, mas não foi possível segurar o topo: a dupla acabou em segundo, mas com a classificação para a grande final!

No último tempo do sábado, como de costume, a classificação continuou mudando. Com o temporal que se instalou em Mandirituba, a prova deu uma pequena travada, mas a disputa continuou.

Podemos dar destaque a um fato curioso: no sábado, ao final de todos os quatro tempos de prova, a liderança foi ocupada por duplas diferentes.

Isso só mostra o quão acirrado é esse grande CBP! Para se ter uma ideia, a diferença da dupla campeã do sábado, para a dupla vice-campeã foi de 140 gramas! Sim, 140 gramas!

Com cinco carpas-cabeçudas e 28,660kg somados, Alexandre e Juliano assumiram a liderança faltando 20 minutos para o fim da primeira etapa paranaense e não saíram mais.

O show dado pela dupla ficou marcado na história do CBP Paranaense. Eles souberam usar a paciência e a melhor técnica para carimbar a vaga para a final no Parque Maeda. Parabéns!

As duplas classificadas para a grande final são:

1º – ALEXANDRE E JULIANO: 28,660KG

2º – RAFAEL E RODRIGO: 28,520KG

MAIOR PEIXE – TIAGO E PABLO: CARPA-CABEÇUDA DE 8,380KG

 

ETAPA 2 (DOMINGO, 16 DE JANEIRO): Dia de coroar os campeões e aplaudir as mulheres na pesca!

Como muitos pescadores que participaram da segunda etapa de domingo já haviam pescado no sábado, as manhas para uma boa pesca já estavam a todo vapor!

A tensão para a prova continuava, afinal, é CBP, mas os pescadores pareciam estar menos receosos com o que iriam enfrentar. Mais uma vez, a maioria fez a aposta direta: carpa-cabeçuda.

No top 10 final do domingo, por exemplo, apenas as duplas que ficaram em quinto e em sétimo pegaram outras espécies de peixe.

Por cima, podemos dizer que na arena do Valle Verde, nove em cada dez pescadores estavam decididos a praticar essa modalidade.

Quanto à classificação, o domingo foi o oposto do sábado. Enquanto na primeira etapa tivemos sempre duplas diferentes liderando nos quatro tempos, no segundo dia de disputa, uma dupla se sobressaiu deste o início.

Com poucos minutos de prova, Luiz Henrique e Jonathan já fisgaram a primeira cabeçuda do dia. Pega na modalidade boia com pastilha, eles perceberam que esta seria a chave para o sucesso.

Então, resolveram continuar com o mesmo esquema. Decisão corretíssima!

Para eles, a parte da manhã foi tão boa e produtiva que, dos seis exemplares capturados, cinco foram pegos antes do horário do almoço.

Esse feito segurou a dupla no topo da classificação. E às 15:17h eles conseguiram mais uma, a última do dia, de 5,260kg.

Apesar de não ser um dos maiores exemplares, esses cinco quilos foram o suficiente para garantir o título da etapa e, consequentemente, com a somatória de 34,060kg, o título paranaense em pesqueiros! Parabéns para Luiz Henrique e Jonathan!

Mas, apesar do título, tivemos outros grandes destaques. Por exemplo, no terceiro tempo, a belíssima carpa albina de Furla e Maria Furlaneto chamou a atenção dos competidores.

Eles, inclusive, também pescaram demais e mantiveram a vice-colocação do primeiro até o final do penúltimo tempo. Porém, com a reviravolta dos últimos momentos de prova, a dupla acabou em sexto, mas também merece parabéns.

No quarto tempo também foi o momento de duas classificações para a final, além dos campeões. Faltando quinze minutos para às 17h, Claudio e Paulo Sérgio capturaram um belo exemplar: carpa-cabeçuda de 10,820kg na boia com pastilha.

O feito fez a dupla ultrapassar o, até então, maior peixe de Rodrigo e Eli. Com isso, Claudio e Paulo Sérgio também garantiram vaga para a disputa dos 100 mil reais em março!

Mas como tem coisas que só acontecem no CBP, um dos momentos mais marcantes e emocionantes ficou para o final da prova, no sentido mais literal possível.

A dupla formada por Kamila Bigua e Marcelia, que havia pego cinco peixes no total, não estavam nem no top 3. Mas, como é CBP, elas ainda estavam na disputa. Com o final da prova se aproximando, muitos acreditavam que era muito difícil uma classificação.

Porém, esqueceram da força da mulher na pesca esportiva! E, no roteiro mais incrível que poderia se imaginar, a dupla fisgou um belo peixe segundos antes de tocar o sinal de fim da prova.

Como está na regra, se a prova terminar com peixe engatado, o competidor pode retirar o peixe e pesá-lo na balança, normalmente.

A briga foi bonita, emocionante e às 17:32 a balança registrou o último peixe do Paraná: uma carpa-cabeçuda de 5,940kg! Com isso, Kamila e Marcelia são a primeira dupla da história, formada só por mulheres, a garantir a vaga na grande final de um CBP!

O mundo da pesca esportiva aplaude Kamila e Marcelia, vocês marcaram os seus nomes nesse esporte! Parabéns!

As duplas classificadas para a grande final são:

1º – LUIZ HENRIQUE E JONATHAN: 34,060KG

2º – MARCELIA E KAMILA BIGUA: 29,460KG

MAIOR PEIXE – CLAUDIO E PAULO SÉRGIO: CARPA-CABEÇUDA DE 10,820KG

VEJA AS FOTOS DAS DUAS ETAPAS PARANAENSES DO CBP CLICANDO AQUI!

Quer conferir todas as emoções das etapas do CBP? Siga o Instagram Oficial da Fish TV e acompanhe a cobertura da disputa por lá!

Premiações do 3º Campeonato Brasileiro em Pesqueiros

  • Campeão nacional: R$ 100.000,00 em dinheiro, troféu e medalha.
  • Vice-campeão nacional: Viagem, com tudo pago, para Alta Floresta, no Mato Grosso, troféu e medalha.
  • 3º lugar nacional: Viagem, com tudo pago, para Corrientes, na Argentina,  troféu e medalha.
  • Maior peixe nacional: R$ 10.000,00. troféu e medalha.
  • 1º lugar estadual: R$ 2.000,00, inscrição para o CBP 4, troféu e medalha.
  • Maior peixe de cada estado: R$ 1.000,00,  troféu e medalha.
O 3º Campeonato Brasileiro em Pesqueiros conta com o apoio de Buffalo MotoresHughesnetQuistyAlbatroz FishingJem ComercialMaruri FishingRepeMaxCloter RytosDewarLife KLumisMX PESCAPatola e Pegando Gigantes.

 

    Quer saber mais?
    Preencha com seus dados e entraremos em contato




    Fish TV

    Acompanhe as novidades

    Pagamento em até 10x nos cartões de crédito. Consulte condições especiais

    Fish TV Fish TV

    QUER GARANTIR SUA VAGA NO CBP 4?

    Temos uma novidade: o Voucher Promocional! Preencha o formulário e saiba mais.